Características de personalidade que contaminam o amor

O que vem à sua mente quando pensa na palavra amor? A definição de amor de um modo geral é o ato de você beneficiar as pessoas, de se relacionar com alguém respeitando a liberdade essencial deste individuo, é uma troca mutua e genuína, mas na prática o amor vem mesclado junto com as nossas características de personalidade, então, não é algo totalmente “puro” como imaginamos na teoria. O amor tem uma dimensão emocional, que é aquilo que você sente e outra, comportamental que é aquilo que você faz. Para que você entenda melhor, selecionamos algumas características de personalidade que se fundem e contaminam o amor quando nos relacionamos com alguém:

  1. VALIDAÇÃO SOCIAL: vivemos em um mundo que nos pressiona a seguir um script de vida – escola, faculdade, trabalho, casamento, filhos, etc. Muitas pessoas se preocupam além do comum em seguir os padrões que nos são pré-estabelecidos, além de se preocuparem com o que pensarão dela, o que irão comentar ao seu respeito e tudo isso ocorre de certa forma indiretamente, sabemos que não existe uma “placa” contendo estas exigências, porém imaginemos que essa pessoa que se preocupa com a validação social saia com os amigos aos finais de semana e estes amigos estão todos comprometidos, logo, todos sairão com seus conjugues enquanto ela estará desacompanhada, talvez isso a incomode de certa forma. Então quando ela encontrar alguém que seja o “numero” dela, a pessoa que realmente faça o seu tipo, ela fará questão de contar para as outras pessoas do seu relacionamento, porque agora ela poderá se inserir no rol das pessoas que estão comprometidas, ela terá uma família para seguir estes padrões comuns da sociedade, se sentirá inserida nesse universo de socialização, que as vezes, só ocorre quando se está em um relacionamento (solteiros costumam se juntar com amigos solteiros e pessoas que estão em um relacionamento saem com outras que também estão).

 

  1. IMPORTÂNCIA PESSOAL: ou seja, o senso de importância que a outra pessoa te oferece. Alguém que é muito vaidoso, egocêntrico ou até mesmo narcisista em certa medida, procura quem o valide, o reconheça e o parabenize, alguém que dê a importância que ele mesmo se dá exageradamente. Então algumas pessoas estão em um relacionamento para conseguir realizar a “fantasia” de importância, ele quer alguém que diga o quão especial, inteligente, bonito, bem-sucedido, o quão capaz ele é e por aí vai… E na verdade este comportamento de espelhamento não envolve muito o amor em si, pois é como se você usasse a outra pessoa como se fosse uma “plataforma” para você se sentir digno, importante, bonito, capacitado.

 

  1. HEDONISMO PRÁTICO: outro aspecto envolvido em algumas personalidades que se confundem com o amor é o daquela pessoa que busca alguém exclusivamente para sentir prazer, se divertir e fazer coisas gostosas que só podem ser concretizadas em dupla. Então ela procura por uma companhia que traga intensidade e dinamismo, ela quer viajar, ir para balada, passear, ter relações sexuais, entre outros. Claro, é comum buscarmos por alguém que traga estas características para o relacionamento, porém, esta pessoa em específico quer um parceiro apenas para ter e experimentar prazeres, é como se ela estivesse focada somente nestas características positivas e esquecesse que a vida a dois envolve rotinas, problemas e por menores da vida real que todos enfrentamos.

 

  1. POSSE: há pessoas que possuem certo comportamento de “colonialismo” ou territorialismo, então ela quer uma pessoa ao lado dela para poder ter posse, como se esse alguém fosse mais um dos “objetos” que esta pessoa possui e que ela usa em benefício dela própria.

 

  1. ILUSÃO DE AMOR: existem pessoas que são mais contidas, apáticas emocionalmente, mais calculistas e frias, então as vezes elas entram em um relacionamento para fazer com que elas mesmas acreditarem ou para que os outros acreditem que elas amam alguém. É como se o relacionamento amoroso viesse para consolidar uma percepção de que elas têm sentimentos. Ao se relacionar com alguém, esta pessoa se sente mais viva, mais amorosa e deixa de se sentir tão indiferente ou cruel (sem sentimentos).

 

É preciso lembrar que existe amor nesses relacionamentos, porém como dito anteriormente, ele acaba se contaminando com estas características embutidas em certas personalidades.


Postagens relacionadas

Você sabe o que é Amor?

É difícil definir essa palavra porque a usamos muito no dia a dia...

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Add Comment *

Name *

Email *

Website

X