Solitude x Solidão

SOLIDÃO E SOLITUDE

Quem você é? Quais são os seus gostos e vontades quando não há ninguém olhando? Quais são os seus medos e fantasmas quando está sozinho?

Aprendemos que sem o outro, não sabemos nada sobre nós.

Se sou baixo (a) ou alto (a), magro (a) ou gordo (a), extrovertido (a) ou introvertido (a), todos estes adjetivos, entre muitos outros, dependem da comparação que se é feita a partir da existência do outro, ou seja, o nosso “eu” vai se formando lentamente a partir do contato com os outros, a partir de convenções sociais, opiniões alheias que esperam que tenhamos e a partir desse momento, formamos um “eu” social, um “eu” aceitável, que diz aquilo que os outros podem e querem ouvir, que não é desagradável, aos poucos este “eu” vai sendo moldado pelo convívio. Lentamente, vamos nos afastando de nós mesmos, do que queremos, do que gostamos, no que acreditamos.

Desde o início da infância aprendemos que estar sozinho é algo negativo. Quando estávamos em uma sala de aula, por exemplo, e aprontávamos algo, o castigo dado geralmente era se isolar dos outros alunos, normalmente o professor (a) colocava a criança sentada em uma cadeira em um canto isolado da sala, no qual não era possível manter mais contato com ninguém.

Sentir-se solitário está ligado a uma condição social, seja por estar solteiro, por ter se afastado de familiares ou de amigos. Precisamos entender que solidão é diferente de solitude, solidão é quando não temos controle, é visto como algo negativo, está ligada com o sentimento de incapacidade/insuficiência de se relacionar com alguém, seja com amigos, familiares ou relação amorosa. A pessoa que se sente solitária geralmente tem dificuldade de se relacionar com os outros, seja por indisponibilidade, medo de se comunicar ou bloqueio social, além disso, também está ligado ao sentimento de inadequação, ela sente que não pertence a nenhum grupo, não consegue encontrar pessoas similares a ela, e então, esta pessoa se sente deslocada em ambientes sociais, outro ponto é que a solidão traz consigo uma toxidade para o indivíduo, pois aos poucos, ele começa a perder cada vez mais a habilidade de se comunicar e de relacionar. A solidão também é acompanhada de certo amargor, ressentimento e reciprocidade condicionada, ou seja, a pessoa sempre está cobrando que os outros façam por ela, o que ela fez por eles. A felicidade muitas das vezes, está relacionada ao controle das nossas relações, algumas pessoas querem controlar quem está ao seu redor, seja ordenando o que os outros devem fazer ou reprimindo suas vontades e quando não conseguem exercer este controle, se veem sozinhas pois, essa situação de controle também desencadeia a solidão.

Já a solitude é uma escolha, ou seja, a pessoa escolhe estar sozinha em dados momentos, seja para se autoconhecer, para aproveitar sua própria companhia, realizar seus próprios desejos e vontades, entre outros. Para cultivar o momento de solitude, você pode estar apenas fazendo uma caminhada sozinho, ir no cinema consigo mesmo, ou até, viajar sozinho.

Quando você aprende a cultivar o amor próprio e apreciar sua própria companhia, diferente de uma pessoa solitária que se submete muitas das vezes às relações tóxicas apenas pelo medo de ficar sozinho, na solitude você escolhe com quem quer estar, avalia suas companhias com cautela e decide quem estará perto de você, pessoas que não “absorvam” sua essência e individualidade. Na solitude existe o ato de autocompaixão e cuidado consigo mesmo. Praticantes de meditação que se afastam por um ano, ou até mesmo, dez anos, voltam para suas vidas cotidianas revigorados, pois cultivaram um aspecto saudável em suas mentes, ao contrário de outras que saem degeneradas após uma situação de isolamento involuntário, como por exemplo, uma pandemia. Pessoas que estão saudáveis em suas próprias companhias acabam emanando essa energia positiva para os outros, pessoas como: Buda, Cristo, entre outros, pois estavam bem consigo mesmos. A pessoa que pratica a solitude enxerga suas relações como uma troca livre e de liberdade, onde ambos dão e recebem, sem precisar se prender às suas relações para se sentir bem.


Postagens relacionadas

Auto-Conhecimento

Você acredita que se conhece bem? Muitas pessoas acreditam se autoconhecer como ninguém,...

Mães narcisistas, como identificar?

Já falamos sobre o que são mães narcisistas e algumas características deste perfil,...

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Add Comment *

Name *

Email *

Website

X